Please enter your username and email address. Get new password
Register Now
x

Nova entrevista com Josh Klinghoffer

00

A “entrevista” da Rolling Stone que foi divulgada ontem era falsa! Isso foi parte de uma brincadeira de 1º de Abril feita pela fanpage rhcptv5. Muitos fãs ficaram chateados então aqui vai uma pequena entrevista que fizemos com Josh Klinghoffer… apenas para alegrar o teu dia. É real, não é uma brincadeira!

EYE OPENER: Você pode nos contar algumas curiosidades sobre a trilha sonora de “Bob and the Monster”? JOSH KLINGHOFFERTudo foi feito em um dia. Tipo oito horas frenéticas no mesmo local onde foi gravado o primeiro álbum do Dot Hk’r. Eles tocaram a gravação temporária que estavam usando e eu a ouvi por tempo o suficiente pra ter aquela sensação na minha cabeça e então eu comecei a acrescentar algo. Eu não queria ouvir a gravação temporária por muito tempo porque tinha medo de não conseguir tirá-la da minha cabeça. As vezes é difícil fazer a dissociação das coisas. Uma vez que já está lá, é difícil seguir em outra direção. Nós trabalhamos muito rápido naquele dia. Rick Ballard fez um incrível trabalho seguindo um esquisito altamente cafeinado em uma sala cheia de equipamentos.

EYE OPENER: Há alguma b-side ou outtake dos álbuns lançados (de Shadows Collide with People à A Sphere in the Heart of Silence) que não foram divulgadas?
JOSH: Não há “b-sides.” Talvez haja uma ou duas demos que não viram a luz do dia.

EYE OPENER: Como está sendo a gravação do novo álbum do Dot Hacker? Já se sabe alguma data de lançamento?
JOSH: Eu não posso dizer quando será lançado. A gravação desse álbum se tornou um longo e de alguma forma, árduo processo. Talvez não árduo, mas longo. Parece árduo porque nós começamos a gravar em Dezembro de 2012. Demorou basicamente um ano inteiro para terminarmos. Isso se deve principalmente à nossas agendas. Haverá mais coisas pra dizer sobre isso quando o álbum for lançado.

EYE OPENER: Há um monte de perfis falsos no Twitter fingindo ser você. Por que você não cria uma conta oficial? Você não gostaria de fazer parte da comunidade do Twitter?
JOSH: O fato de haver tantas contas falsas no Twitter é uma das razões que me faz não gostar disso. Não é que eu odeie o Twitter, se trata de toda essa cultura. Fico cauteloso com o efeito dessa comunicação tão impessoal.

q-horz

EYE OPENER: “Neon Arrow” é uma música “inacabada” e mesmo assim nós, os fãs, fomos cativados por ela do jeito que é. Há alguma possibilidade de ouvirmos essa música futuramente em algum show do Dot Hacker?
JOSH: “Neon Arrow” está sempre por perto. Será tocada algum dia.

EYE OPENER: Você tem alguma influência que não seja musical mas que de alguma forma influencia na sua música?
JOSH: Tenho. Muitas das minhas influências não são musicias. Eu sinto que você consegue os melhores resultados musicias quando aplica todo tipo de influência. Eu não gosto muito de listar coisas porque eu sempre esqueço algo importante, mas sim. Muitas influências que não são musicais.

EYE OPENER: Em relação ao seu trabalho com John Frusciante, “Communique” está entre as músicas mais populares. Qual modelo de piano você tocou nessa música?
JOSH: Na gravação de Communique para o álbum, eu usei um modelo Yamaha que eles tinham no estúdio em que gravamos isso. O piano que eu usei nas apresentações ao vivo com o John foi o meu Helpenstill.

EYE OPENER: Da onde surgiu o seu apelido, “Kobe”?
JOSH: Eles (Bob, Marc Hutner e Josh Blum) me chamavam de Kobe no The Bicycle Thief, principalmente durante o processo de gravação do álbum, porque eu era muito jovem.

EYE OPENER: Você tocou em algumas bandas covers como The Mones, The Curators, The Vo Faux, Tom Hearty and the Petbreakers, e uma banda em tributo ao Joy Division. Há alguma outra? Ou há alguma outra banda a qual você gostaria de fazer um tributo…
JOSH: Todas essas que você mencionou (exceto a do Joy Division) foram feitas na cidade de Nevada, Califórnia. no Cooper’s no Ano Novo. Através da minha longa amizade com Dan Elkan, eu conheci ótimas pessoas da cidade de Nevada e eles costumavam fazer esses shows incrivelmente divertidos durante o Ano Novo. The Mones foi o primeiro. Alguns anos depois Dan e eu fizemos o cover do Violent Femmes com Adam Kline do Golden Shoulders, alguns anos mais tarde fiz o cover do Tom Petty com o Adam e do The Cure com o Dan. Foi uma noite divertida. E foi uma ótima desculpa para passar a semana entre o Natal e o Ano Novo em uma cidade cheia de pessoas incríveis onde realmente sentimos o inverno não é como Los Angeles. Nós sempre conversamos sobre fazer um outro show… mas talvez nós estejamos meio velhos agora. Ha. Eu não sei.

EYE OPENER: Você tem alguma tease favorita entre todas aquelas que vocês tem tocado durante os shows dos Chili Peppers?
JOSH: Eu gostava de “Dosed.” Foi divertido. Eu fiquei um pouco preguiçoso em relação as teases. Sinto muito. Eu voltarei com elas.

Entrevista pelo site Eye Opener (Josh Klinghoffer Fansite)

0 thoughts on “Nova entrevista com Josh Klinghoffer”

Leave a Reply