Please enter your username and email address. Get new password
Register Now
x

Entrevista do Josh para a NeonV

00

A série ‘hi V’ continua com a banda californiana Dot Hacker. Dot é composta pelo lider/vocalista Josh Klinghoffer, Clint Walsh (guitarra, teclado e vocais), Jonathan Hischke (baixo) + Eric Gardner (bateria)
Tive a oportunidade de conversar com Josh e perguntar a ele sobre o segundo álbum da banda que será lançado em duas partes – ‘How Your Process? (Work)’ que sairá em 1 de Julho, e ‘How Your Process? (Play)’ que sairá em 7 de Outubro.

De onde veio o nome Dot Hacker? E para quem não os conhecem, como a banda se formou?

JK: A banda se formou originalmente quando Clint e eu estávamos em turnê com Gnarls Barkley em 2006. Em certo ponto de 2007, após a turnê ter terminado, Clint conversou com Eric, que também toca em outros projetos, e eu chamei Jonathan. Eu conheci Jonathan através dos muitos amigos na área da cidade de Nevada. Nós começamos a tocar juntos e nos familiarizamos na última parte de 2007. Agendamos nosso primeiro show no Troubadour (Bem antes
de estarmos prontos) em 2008. Sem ainda ter um nome, nós entramos como Dot Hacker, que é o nome da avó do Eric, sendo Dot um ‘apelido’ para Dorothy. Levou um tempo para a banda se sentir bem com o nome, mas se sentir bem é uma
espécie de crescimento que nós temos. Eu gosto da idéia de sermos referidos como “os dots”. Eu gosto muito dessa palavra. ‘Dot’.

Eu também! Dot Hacker é descrita como uma banda de “rock experimental”, o que isso quer dizer para vocês, e você acha que essa descrição, é precisa?

JK: Bem, acho que nós todos apreciamos a experimentação com a forma de uma banda de rock. Falando por mim, eu gosto de flexibilidade e de uma fórmula ou convenção. Isso é experimentação? Muitas vezes eu sinto que nós não fizemos uma fração de experimentação de sons, arranjos e formas que nós gostariamos. Eu penso que conforme a banda vai progredindo, nós vamos vendo mais mais experimentações. Eu geralmente sinto que existem tantas bandas fazendo músicas, quem precisa de mais uma? Eu gostaria que soássemos como uma cascata, ou um combate de boxe. Talvez um casal grite um ao outro com máscaras plásticas de halloween. Eu não sei, isso soa como experimentação…talvez. Nós também queremos escrever boas canções para fazer com que as pessoas se sintam bem. Eu quero me sentir bem.

Isso sobre se sentir bem, eu adorei tudo nesta resposta!
O nome do álbum que está vindo é “How Your Process?(Work)”e, eu estou encaminhando para ser meio chata mas, como o processo criativo mudou desde que foi composto o primeiro álbum Inhibition, até o novo álbum?

JK: Eu não sei se posso dizer que o processo de escrita necessariamente mudou. Com esta banda, é muito mais uma questão de tempo e disponibilidade. Posso dizer que o processo mudou um pouco no sentido do curso do primeiro
álbum, nos estivemos escrevendo e juntando partes tanto no estúdio quanto separadamente. Para este álbum, apesar das sessões serem esporádicas, todos nós trabalhamos nas canções juntos antes de sua gravação. As vezes uns mais do.que outros, mas esta era a coisa mais coesa neste sentido. Nós não tivemos surpresas desta vez. Nós entramos com as músicas e gravamos. Na primeira vez, eu devo ter puxado uma canção e Eric tocou a bateria por cima ou algo assim, então alguém colocou mais alguma por cima. No começo foi engraçado, mas isso demanda um pouco mais de tempo. Na próxima vez, o álbum já estará gravado e nós somente o mixaremos.

Ha! Uma abordagem interessante. O seu website tem um visual bem agradável. Quais tipos de imagens (se houver) desempenharam um papel na criação deste álbum?

JK: O site está bem bacana, não é? Obrigado! Nossos amigos Josh e Katie fizeram o design e um outro amigo, Micah, fez ele acontecer. Sobre a gravação, foi gravado ao longo do ano, e nós colocamos toda nossa imaginação nele. Em um total de 4 sessões, ou uma longa que tivemos aqui em L.A. Eu estava procurando por muitos tapetes persas e fazendo muitos
desenhos abstratos com lápis quebrados. Eu devo admitir que há campos de baseball e também modelos de American Apparel, tem um monte.

Modelos da American Apparel definitivamente tornam as coisas mais interessantes.
Para mim, seu novo single Elevator fala sobre altos e baixos na industria da música e sobre ser um artista, eu posso estar completamente errada. Qual a inspiração por trás de Elevator?

JK: Bem, um pouco sobre isso, generalizando, mas pode ser sobre qualquer coisa. Estou tentando lembrar as palavras. É tipo sobre uma conversa de alguém consigo mesmo, talvez como se você estivesse preso em um elevador. Um. Vence. Um. Um.

Eu posso ver isso! Descrição perfeita. Os fãs podem realizar a pré compra do album a partir de 17 de Junho, o que surpreendeu um pouco sobre How Your Process (work)?

JK: O que surpreendeu? Provavelmente a duração. É bom e curto, só 30 minutos. A capa do segundo provavelmente irá surpreender um pouco as pessoas.

Bem, eu mal posso esperar para ouvir o álbum! Muito obrigado por conversar comigo!

Saiba mais sobre o Dot Hacker em http://dothacker.org e se conecte com
a banda aqui: https://www.facebook.com/dothackerband
https://twitter.com/dothackerband

Tradução: www.josh-klinghoffer.org

Fonte: neonvmag

0 thoughts on “Entrevista do Josh para a NeonV”

Leave a Reply